RSS
  • Tamar Kaprelian - New Day

    26 Ago 2010, 17:54

    Só sei que estou ADORANDO os lançamentos desse ano!
    Falarei agora de um álbum que esperava ansioso pra ouvir!
    Sinner Or A Saint da Tamar Kaprelian enfim foi lançado! Espero muito dessa cantora, tanto pela potência vocal quanto pelas letras e os arranjos (muitos feitos por ela mesma!).

    Entonces, vamos lá!

    New Day é a primeira música do disco, e a faixa pela qual Tamar foi conhecida por muita gente no mundo! A letra é bem forte e a melodia muito gostosa! Perdi a conta de quantas vezes já a ouvi!

    Em seguida temos Sinner Or A Saint, faixa tema do album, que passa por um pop/rock. A voz dela parece um tanto diferente da conhecida New Day, mas tem umas harmonias muito gostosas! A bridge se torna algo praticamente sacro!

    Delicate Soul é outra faixa já conhecida (uma dos 3 singles lançados por ela desde o começo de sua carreira). A melodia é linda como um passeio num parque numa tarde ensolarada, cercado de flores! HAHAHA tá, viajei, mas a música é muito fofa mesmo! Ao mesmo tempo ela consegue colocar uma voz madura na música... ADORANDO!

    Raining In Paradise é uma balada romântica que me surpreendeu. A letra é muito bonita, a bridge é perfeita e o que mais chamou a anteção foi o piano! Como eu amo esse instrumento quando bem colocado em qualquer tipo de música. Com certeza essa música foi a mais trabalhada em termos de arranjos.

    E MELDELS! To adorando Should Have Known Better! Tem um quê de jazz na música, e é daquelas que dão um 'tapa na cara' na letra! Ao mesmo tempo a melodia é bem happy!

    March Mornings começa surpreendendo com violinos! Isso é covardia, pelo menos comigo, pois adoro esse instrumento! Depois um conjunto de cordas entra na harmonia musical. E vai assim até o final da música! SUPREENDENTE alguém lançar uma música assim num álbum pop nos dias de hoje! O estilo me faz lembrar um pouco da Enya. PERFEITA!

    Pelo visto o álbum está recheado de baladas românticas mesmo! Transcend chega com piano e violinos novamente! Só na segunda parte da música que entram os outros instrumentos e digo uma coisa: estão muito bem arranjados! O baixo é muito gostoso de se ouvir! E enfim a Tamar começa a mostrar a potência vocal que tem em gritos durante o refrão!

    Raw é mais uma baladinha romântica... MENTIRA! Adoro quando a música engana a gente no começo! Um pop/rock empolgante e no melhor estilo 'tapa na cara'! É a segunda no álbum! Amo revoltas!

    A música Purified também já é conhecida pelos fãs da cantora, sendo seu terceiro single. Uma declaração de amor linda! Essa música é pra embalar os apaixonados! A bridge da música é linda e empolgante, tornando-a mais gostosa de ouvir só por esse momento!

    The Otherside (Aleatory) é mais uma ballad, mostrando que a especialidade da Tamar é mesmo a música romântica/fossa. A letra é interessante, mas achei meio down... Whatever: a música é boa! E tem uma surpresinha oculta nela! Portanto, deixem correndo até começar a Aleatory: um piano maravilhoso!

    E, como tá sendo um costume em todos os álbuns esse ano, esse disco é finalizado com New Day (acoustic)! Eu ainda prefiro a música original, mas esse acústico ficou perfeito! A voz dela aparece mais crua e menos enfeitada e o refrão é PERFEITO! E pra quem também curte música japonesa, a voz dela assemelha-se, e MUITO, com a da YUI!


    Resumindo: esse CD é cheio das baladas românticas e de músicas com letras bem interessante, falando desde o amor sem fronteiras (LOL) até as discussões de relacionamentos!
    Esse álbum não é pra ser ouvido a toda hora, mas a voz da Tamar é apaixonante!

    Nota: 8.8
  • Kylie Minogue - Aphrodite

    21 Ago 2010, 21:25

    E o que dizer sobre Aphrodite da Kylie Minogue? Mais uma das obras-primas da música pop/dance do ano!

    E nesse post, serei um pouco diferente! As músicas da Kylie me deixam meio perdido, pois, dependendo do meu estado de espírito, elas me afetam de maneiras distintas! TENSO! Por isso sou um psyduck! *quack*

    Todas as músicas são ótimas! Todas são muito dançantes!
    Mas as melhores são:

    1. Aphrodite. Essa música me faz sentir como se estivesse no exército de Afrodite, loucamente!
    2. Get Outta My Way remete um sentimento de liberdade! A letra é fantástica e os arranjos são demais!
    3. Can't Beat the Feeling tem milhares de arranjos retrôs e eu amei! É uma das músicas dançantes que falam de amor no perfeito 'estilo Kylie'!
    4. Put Your Hands Up (If You Feel Love). Perfeita! A Kylie inclusive agitou um netmob (aloka!) retwittando todo mundo que pedia pra ela levantar a mão por "cidade x" no mundo!
    5. All the Lovers é muito boa também! O clipe foi perfeito, sendo o primeiro single desse álbum. Love is in the air!


    No momento "Dance with me... slow" eu escolho:

    1. Closer é a música mais TENSA do album... gosto desse drama! Os arranjos são intensos e a voz dela está linda!
    2. Everything Is Beautiful é muito "amo muito tudo isso" haha!
    3. Better Than Today tem uma curiosidade: se alguem foi muito viciado em Sonic The Hedgehog 2, verá a semelhança com a song do stage HipTop Zone! Foi por isso que adorei!


    Agora, algumas considerações sobre as outras músicas:

    1. Too Much ficou muito cara de balada GLS! Claro que farão um remix completamente babadeiro, mas o ritmo da música por sí só já basta em uma festa!
    2. Cupid Boy foi a música mais diferente do álbum. Melhor proposta! E o comecinho me lembra muito o game Comix Zone [MegaDrive].
    3. Looking for an Angel parece música de Cold Play... achei estranho... Mas a letra é bonitinha e acaba sendo envolvente.
    4. Illusion... não sei porque, mas fiquei indiferente a essa...


    Resumindo: Kylie usou arranjos retrôs na maioria das músicas e deu uma roupagem totalmente nova! Impossível não cantar e dançar loucamente ao som dessa gata!
    K - Y - L - I - E! You rock!

    Nota: 9.0!
  • Katy Perry - Teenage Dream

    20 Ago 2010, 3:06

    ENFIM³! *fireworks and glitter everywhere!*
    Uma das obras primas de 2010! Sim, estou falando dessa baixinha, fofinha, meiguinha, que já beijou garotas e gostou de fazer isso! Katy Perry detonando em seu novo album Teenage Dream!

    Mas falemos das faixas primeiro, e depois de uma crítica geral sobre o álbum!
    Let's go all the way tonight!

    O álbum começa com a faixa homonima Teenage Dream. Segundo single lançado, essa música começa de maneira até "estranha", ao meu ver, para o pop atual, que sempre começa com algo escandalosamente dançante. Mas parece que ela começa a abrir um livro com essa música... Aos poucos ela conta o que é o sonho adolecente dela e, como verão, pelo que ela passará e aprontará em todas as faixas! Sim, o álbum parece um livro! PERFECT!

    Em seguida temos a animadinha Last Friday Night (T.G.I.F.). Nesse momento pensei "putz, o álbum vai ser todo paradinho... não é possivel"... Mas, mais uma vez, a letra da música fala tudo sobre o que aprontamos na adolescência (durante a faculdade também, vai!). Dançando sobre a mesa, glitter espalhado por ai, beijar um monte de gente e nem lembrar quem! HAHA! A letra é perfeita (pelo menos pra quem tem um espírito jovem sempre!)! Melhor parte da música é o saxofone! A quanto tempo eu não ouvia esse instrumento em uma música pop!

    E, continuando the teenage crazyness temos a (já por muito idolatrada) California Gurls (feat. Snoop Dogg)! Nem tem muito o que comentar sobre essa música! O refrão que cola na cabeça, a dancinha sensual do clipe e a Katy espirrando chantily loucamente pelos peitos! Os carões pra essa música são os melhores! Além dos que ela usa no clipe! Essa música é, ao mesmo tempo, ingênua e sensual!

    Firework pra mim foi surpreendente... Começou como quem não quer nada e então começa a aumentar o ritmo (com violinos muito bem combinados, mesmo sendo um pouco "Viva la Vida") e ela gritando no refrão! A bateria começa e o DANCE POP COMEÇA! Meldels! Essa é das músicas que fazem a gente arrepiar! A letra é linda! O ritmo tranquilo e agitado alternados a tornam viciante! Boom Boom Boom! Even brighter than the moon!

    HAHAHA! Não tem como não começar a rir ao ouvir a próxima música! Peacock usa o clássico ritmo das baterias de escolas americanas com as queridíssimas teamleaders! Como disse meu amigo @BrunnoSilva, tenho vergonha de cantar traduzindo essa música! Ela sensualizou e ela meteu a boca (ui!)! A bridge da track é muito boa, quebrando a monotonia sonora que causa e fazendo ela voltar com tudo! TEM que ser o próximo single! Katy teenage perfertidinha!

    Que tal uma lição de moral pro povo chapadão? Circle the Drain chega com um tom de repressão, uma voz mais séria e um ritmo que ainda não tinha ouvido da Katy! O refrão é perfeito: "não vou ficar aí te observando abraçar a pia pra vomitar toda essa burrice que você fez!". Confesso paixão ao primeiro acorde dessa música! Go Go Perry!

    The One That Got Away nos mostra (ainda no contexto teenage) o drama amoroso. Sim, a letra me deixa bem triste, o ritmo ajuda numa cadência depressiva e a voz chorosa no refrão completa o sentimento de que "perdi alguém muito querido e não sei se consigo tê-lo de volta". Ela arrebentou na fossa-music! Muita gente vai chorar ouvindo essa música depois de tomar/dar uma bota!

    E.T. é a música mais diferente do álbum, lembrando um pouco as queridas t.A.T.u.! Mesmo assim, os sons espaciais e esse ritmo hipnotizante fizeram a faixa muito interessante!

    Who Am I Living For? é a primeira balada tapa-na-cara-like do álbum. Fala de escolhas, dos medos das atitudes tomadas, ou seja, ainda está inserido no contexto adolescente do álbum! Essa é a magia de Teenage Dream! A histórinha, os fatos, tudo acontece em apenas um contexto (mesmo não mostrado diretamente).

    Pearl tem uma das letras mais impressionantes, fato que não via a muito tempo em ballads! Trata-se de uma renúncia ao verdadeiro eu pela existência de outra pessoa? Ou seria um desabafo pra quem está saindo de um casulo, mostrando-se verdadeiramente? Acho que a graça da música está nessa confusão, nesse dilema. Crescer ou não crescer?

    A próxima faixa é Hummingbird Heartbeat, um pop/rock gostosinho de se ouvir! A letra é bem simples, e bem adolescente também! A música não causou grande impacto no álbum, mas também não é de se disperdiçar.

    E mais uma ballad chamada Not Like the Movies. E essa fala realmente de príncipe encantado e do sonho do grande amor, que não chega. Mais uma fossa-like no álbum... Agradeço por não passar disso!

    E, como está virando um costume em todos os álbuns atuais, temos a finalização do disco com California Gurls (Passion Pit Remix) e Teenage Dream (Kaskade Club Mix), dois remix interessantes, mas um tanto parados... Como estão no álbum preenchendo algum buraco (ou sobrou grana pra produção), nem vou discorrer muito sobre eles... Mas que prefiro o de Teenage Dream, eu prefiro!


    Esse álbum é um dos poucos lançados esse ano com músicas tão boas e, mais ainda, com letras tão interessantes! Todas as músicas tem algo a ver com o título do disco e acho que essa sempre foi a proposta da Katheryn Elizabeth Hudson! Achei muito bem produzido, e vou demorar um bom tempo pra enjoar das faixas!

    Nota: 9.5! (porque eu odeio dar a perfeição... nem a Madonna ganharia 10.0)
  • The Saturdays - Headlines!

    19 Ago 2010, 3:12

    Pareceu até praga! Lembram do post anterior que eu disse: "se um dia postarei sobre um álbum, música ou cantor que não gosto ou tenha me decepcionado"?
    Pois bem, já estou armando vocês para o comentário do recente EP das The Saturdays chamado Headlines!.

    Confesso que o ouvi três vezes, além dessa para escrever! Tudo pra poder entender o que aconteceu... #guess

    Tudo começa com Missing You... confesso que me decepcionou um pouco colocar uma música que tem boa introdução e que tinha tudo pra ser uma balada dançante e... nada! Música sem muita animação (ainda mais pra uma abertura de EP!), sem muitos trabalhos vocais e com um gosto "eu já ouvi isso milhares de vezes".

    Depois vem a já conhecida Ego! Pelo menos essa chega abalando com um ritmo forte e um refrão chicletinho! Os efeitos de ecos na música ficaram ótimos e a melodia é muito gostosa. A redução do ritmo nas estrofes é boa pra dar aquela acalmada e voltar com tudo no próximo refrão! Emoções que uma música deve passar!

    Agora me expliquem o que é o começo de Higher? Parece que cansaram do álbum na segunda música e não quiseram mais trabalhar de verdade no álbum (as inéditas, claro). Sei que elas costumam fazer músicas assim, mas essa foi bem das sem-graça, incluindo os efeitos sonoros. Dica: o eco em Ego ficou legal... mas copiar nas outras não rola, ok?

    E, em seguida, mais uma conhecida que fez sucesso! Forever Is Over é uma das músicas de maior impacto, na minha opinião, das queridas "Sábadas". Os agudos, os gritos, a guitarra ao fundo, um baixo interessante e uma bateria totalmente pop europeu! WIN!

    Mais uma balada no EP: Died In Her Eyes. Digamos que para uma balada ela está num bom padrão "Pussycat Dolls". Na verdade, não estou na vibe balada romântica (acho que é mentira, pois qualquer uma da Céline Dion eu amo, não importanto o estado de espírito) e acho que a música enjoa na segunda vez que você a ouve. NEXT!

    Agora, para tudo! Deletem as "headlines" que eu preciso de entrelinhas! Não foi possível ouvir a música Karma e não relacionar a uma cópia descarada de Ego! Como assim?! Até o refrão é igual a Ego! Alguém se habilita a fazer um mashup, retirando a letra de uma e trocando pela outra? Não faria diferença nenhuma! Pensei que, por começar superdançante a música, ela seria diferente... Mas, mais uma vez, a preguiça imperou dentre a produção inéditas do EP... Como elas permitiram? That's the question...

    A próxima flopada faixa é Puppet. Usaram um efeito sonoro distorcido a música inteira! Deixem isso pros verdadeiros blacks, ok? Na verdade essa música é uma confusão de estilos, e nem o delas elas conseguiram manter.

    E encerramos os EP das "Sábadas" com um remix que fez valer a pena: One Shot (Starsmith Mix)! Pra variar (nesse EP), é um sucesso anterior do grupo e o remix foi muito bem realizado, tornando uma música que já era um tanto impactante a se tornar impacto-dançante! Há! Êxito! Por quê não lançaram um EP de remixes bem bolados?!

    Resumindo: todas as inéditas são fracas, sem a personalidade do grupo. Parece que elas nem fizeram juz às cores que sempre usam para dar um ar de felicidade/superioridade mesmo nas baladas com letras mais tristes possíveis! CINCO inéditas ruins e TRÊS músicas badaladas perfeitas... saldo um tanto ruim para um grupo que tem tanto potencial.

    Nota 6.0.
    O álbum foi medíocre. Acho que pra quem já lançou músicas como Up, If This Is Love, Work e Wordshaker, deveriam se empenhar mais em atingir um patamar de igualdade com os sucessos anteriores ou melhor (que é o que se espera de qualquer evolução musical de um grupo!).

    Quem quiser tirar o veneno inoculado após ouvir esse EP, recomendo os dois álbuns anteriores das gatinhas: Chasing Lights e Wordshaker.
    Por favor, não flopem! Não podemos perder grandes grupos de europop por falhas assim!
  • Robyn - Body Talk Pt. 2

    8 Ago 2010, 4:32

    Meldels! Já disse que adoro quando as músicas vazam assim, loucamente, na internet? Pois é! AMO!
    E, depois de ter descoberto com um pouco de atraso o album Body Talk Pt. 1 da Robyn, sou presenteado com o Body Talk Pt. 2 que era pra ser lançado somente em setembro!

    E vamos às músicas! Vocês vão chacoalhar o esqueleto LOUCAMENTE!

    In My Eyes é a faixa de abertura do album... Sinceramente, começou melhor que o anterior! Sinto-me numa nave espacial ouvindo essa música! AH! Deixe-me viajar!

    Include Me Out tem um quê de música black... Confesso que me assustei com o começo, mas ficou muito boa a mistura! Rola até um rapzinhu na parte final da música, que ficou MUITO FOFO na voz dela! "Me inclua fora dessa" virou passado! Agora eu só digo "Include me out!"

    Hang with Me volta ao eletronico de sempre, e, ao meu ver, esse album está muito mais dançante que o anterior! O refrão tem umas escalas musicais muito bem colocadas e que dão uma harmonia gostosa na música! E, como nessa semana estou viciado em "bass", to adorando os arranjos!

    Depois vem a mais eletrônica de todas as músicas do album: Love Kills. Nesse ponto já dá vontade de tascar esse CD na balada e deixar tocando do começo ao fim que o povo vai se divertir! Gostaria de afirmar aqui que as letras da Robyn são bem interessantes e não são bobas de serem cantadas... Acho diferente e fundamental esse tipo de música, e não somente aquelas bobeiras de uns pops muito fuleiros que tem por aí!

    Agora reservo-me o direito de GRITAR porque realmente estou confirmando o que disse que é super confortavel deixar esse album tocando sem mesmo fazer esforço pra se selecionar as músicas! HAHA!
    We Dance to the Beat vem pra mostrar toda a voz robótica da Robyn e o ritmo hipnotizante! Isso num lounge seria TUDO! Mas confesso, que por ser a música mais longa do album, o final começa a incomodar... Whatever, to dançando!

    Criminal Intent é, mais uma vez, super puxada pra vozes robóticas, com um estilo "suburbano" (talvez seja a sirene que fica tocando ao fundo!). Ou seja, combina PERFEITAMENTE com o título da música! É a música mais "diferente" no mesmo estilo eletrônico do disco e merece atenção!

    Ha! Sabia que apareceria uma faixa assim! Que tal uma letra com besteirinhas? E que tal voltar ao black music com U Should Know Better (Featuring Snoop Dogg)? Snoop Dogg é totalmente versátil! A participação dele se encaixou muito bem na música eletrônica da Robyn! Olha que eu sempre tive um pé atrás com black, mas acho que o besteirol me deixa mais animado a cantar! Uma das melhores!

    E agora, caminhando para a faixa final do CD, temos Indestructible (acoustic version). Sinceramente, só de começar com o violino tocando já me deixou totalmente surtado (um dos meus instrumentos favoritos)! É um tanto relaxante ouvir essa música depois de tantos ruídos (empregando-se no sentido musical da palavra) eletrônicos! Sinceramente, foi o primeiro love do album dela no meu last.fm!


    Digamos que a Robyn foi muito mais perfeita nesse álbum do que no anterior! Pra quem gosta de pop, música eletrônica e barulhinhos viajantes, essa é a pedida! Confesso que meus comentários, aqui, são mais em relação à musicalidade das músicas, não dando muita importância (tá, foi um erro meu) às letras. Mas isso tem um lado positivo: você também pode se divertir sem saber o que está sendo cantado! (FLOP!)

    Nota 9.4 pra Body Talk Pt. 2!


    ====
    PS.: fico me perguntando se um dia postarei sobre um álbum, música ou cantor que não gosto ou tenha me decepcionado... enquanto isso, vou só no que me atrai!
  • Frankmusik - Complete Me

    6 Ago 2010, 17:58

    Santo deus da música! Nunca pensei que ficaria tão 'puton' por não ter ouvido um album desde o lançamento dele!

    Complete Me do Frankmusik está embaralhando meu estilo musical do momento (que é , ) e fazendo eu parar de ouvir as outras coisas que acabei de conhecer (vide post anterior, com a Robyn)!

    A primeira coisa que me chamou a atenção nele foi que "ele se encheu de fazer o que fazia e resolveu fazer música pop"! Adoro essas guinadas na vida! Ainda mais quando terminam em coisas boas!

    A primeira música In Step já começa pra balançar o esqueleto. Vários efeitos "estou viajando pelo universo" e uma coisa meio video-game vintage!

    Depois vem minha faixa preferida do album: Better Off As 2. É uma mistura eletrônica com uma baladinha. O baixo da música é muito bom (sinceramente, a cada música eu prefiro um instrumento, mas nessa o baixo me chama a atenção loucamente!) e o refrão é uma colinha no cérebro!

    Depois tem a música que considero a mais GAY de todo o album! Também, pudera! O título é Gotta Boyfriend?. Como todo o álbum, tem muitos efeitos com sintetizador e o que mais me chama a atenção, de novo, é o baixo! Cola na cabeça também que não sai mais!

    Confusion Girl (Shame Shame Shame) é uma faixa mais alegrezinha do album... Os efeitos sonoros puxaram um pouco pra um estilo black, mas mesmo assim eu adorei! Ele solta uns gritos meio "Mika" de ser, e isso foi um tanto bom! Falsetes mil!

    Your Boy é a mais romântica do album todo... O interessante dessa música é a quebra que ele causou no ritmo do álbum e ter deixado de usar muitos efeitos sonoros espaciais. A melhor "slowdance" do album com certeza é essa.

    When You're Around volta a ser a animação de sempre do album... mas chega a enjoar o refrão (mesmo a música tendo somente 2:50 de duração)

    3 Little Words sim voltou ao meu gosto, misturando uma música lenta no início e depois tornando-se intensa a partir do primeiro refrão. A letra é ótima!

    Wonder Woman é outra balada que caiu em minha preferência... A letra é interessante, e o ritmo fica impregnado na cabeça! E os gritinhos dele são tão legais! Achei o parceiro de Mika!

    (No final das contas, eu to escrevendo só sobre as músicas que eu gosto, e estão indo TODAS! hahahaha)

    Agora chegou a música tema do album! Complete Me! Também curta em termos de duração, mas que dá pra curtir lindamente! É meio viajante! E o MEGA AGUDO que ele dá no final da música é ótimo! HAHA! Quase um Take on Me do A-ha!

    Não sei se é porque o album vai saturando com o passar das músicas, mas as últimas: Vacant Heart e Done Done não me chamaram nem um pouco a atenção... Elas dão uma relaxada muito longa no estilo, e eu pulo as faixas...

    Time Will Tell já volta num estilo mais rock de ser e até que eu gosto... Enfim, um comentário até que desnecessário haha

    O album se encerra com uma melodiosa Run Away From Trouble. Sinceramente, boa pedida pra um final. A música é muito lenta, tem um trecho intermediário que me faz dar stop (exatamente o que eu fiz!).

    Resumindo, apesar das confusões musicais, o album é muito gostoso de se ouvir como um todo, pulando-se as devidas músicas!
    Uma nota: Acho que um 9.0 vale a pena!

    ==
    Tevu
  • Robyn - Body Talk pt. 1

    1 Ago 2010, 22:03

    E, estreando o blog do last.fm, começarei com o album que acabei de ouvir:
    Body Talk Pt. 1 da Robyn!

    Confesso que não acostumado com esse tipo de música, sendo um pop um pouco mais alternativo, eu acho.
    Mas confesso também que fiquei muito surpreso com a sequência das músicas e com a mistura de ritmos! Foi impactante no começo, mas depois do primeiro refrão eu achei muito bom!

    O album já começa com a faixa Don't Fucking Tell Me What to Do que tem uma boa crítica sobre o que fazemos hoje em dia... Achei um começo meio estranho pro album, mas daí foi que comecei a perceber a intenção dela do album!

    Outra faixa impressionante (mesmo que a letra seja um pouco down) é Dancing on My Own. O ritmo é mais tranquilo, mas só com a música você percebe a historinha acontecendo! Música falando sobre música!

    Depois, mais uma música falando de música: Dancehall Queen. O mais fantástico são os samples de reggae. Quando ouvi a primeira vez, achei muito estranho, já que esse ritmo é praticamente riscado das minhas músicas. Mas eis a surpresa! Quando a parte eletrônica começa a entrar na música, a mistura ficou tão bonita que VICIEI na música! Chego a crer que foi a faixa melhor produzida do album!

    A faixa "obscura" do álbum é None of Dem! Uns toques de música egípicia/indiana/seja-lá-como-posso-chamar-isso e eu adorei! Vale a pena ser ouvida! Dá pra entrar em transe!

    O album tem outras músicas como Fembot, Hand With Me (Acoustic), Jag vet en dejlig rosa e Cry When You Get Older. Dançantes e românticas...

    Resumo da ópera (ou do álbum!):
    Particularmente, amo músicas que falam de músicas...
    E a Robyn foi especialista nisso nesse álbum! Recomendo pra quem gosta desse tipo de música, e, mais além, pra quem gosta desse tipo de letra!

    Nota: 8.9!