Resenha Bandanos (SP) em João Pessoa/PB

RSS
Compartir

9 Ago 2010, 4:11

Mais um sábado com clima nublado na pacata joão pessoa. O último dia do mês de julho marcava a data de muita coisa importante na cidade, pelo menos para algumas pessoas. Foi a penúltima noite do Encontro Nacional de Estudantes de Comunicação e de Economia que estavam acontecendo simultaneamente na Universidade Federal da Paraíba, também foi o dia em que a "famosa" banda brasileira cover dos Beatles chamada "Beatles Abbey Road" (que venceu um campeonato de bandas cover, la em Liverpool, em algum ano ai que não lembro) tocava na cidade, no calendário de shows da comemoração da Festa das Neves, festa anual da Padroeira da Cidade, a "Nossa" Senhora das Neves (que não poderia ter um nome mais contraditório em uma cidade tão quente! hahahahaha).

Além disso tudo, foi o dia em que 6 bandas de roque em rou pesado, sujo e mal educado fizeram a despedida de uma casa de shows ja tradicional aqui em joão pessoa: a INTOCA. O comentário geral, que estava rolando entre os escolhidos de satã que compareceram ao show, é que o local vai se transformar em um restaurante! Bem, quem estava lá pôde sentir um cheiro horrível de um rato que tinha morrido nas imediações da casa, que é rodeado de prédios antigos tombados (leia abandonados) sendo a própria intoca também tombada pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) como patrimônio nacional. Os ratos de vez em quando passavam de um lado da intoca pra outro, mudando de prédio. Talvez estivessem agitados com o som do capeta que estava rolando, quem sabe...o fato é que eu acho que esse restaurante não vai vingar e eu faço questão de AGOURAR e fazer muita MACUMBA do exu caveira preta pra que essa bosta não dê certo e a Intoca volte a ser palco das bandas paraibanas, independente do estilo. Fica aqui expressado a minha idignação.

Mas eu estou aqui pra falar das bandas, né? Então, a banda escolhida para tirar a poeira do palco e esquentar o som foi a DISACUSIA, que sou meio suspeito pra falar, pois toco muito mal o baixo na banda citada, mas o que posso dizer é que gostei bastante da nossa apresentação musical. Tentamos fazer um Crust/Punk/Grindcore com aquelas letras revoltadas que vocês que escutam roque estão cansados de ouvir mas sempre estão procurando bandas que falam sobre isso. Devido ao atraso para o início da nossa apresentação, conseguimos fazer um show para uma pequena platéia que estava esperando a barulheira começar, acho que eles gostaram, pelo menos aplaudiram hahahahaha.

Dando segmento a noite, o Nação Corrompida veio de Pernambuco juntamente com uma galera muito bêbada, que lotou duas vans só pra curtir esse show doido com os pessoenses e também uma galera de maceió, que estavam participando do ENECOM, na UFPB, inclusive alguns integrantes da banda Morra Tentando, quem também colaboram no site SIRVASE (ótima pedida pra quem gosta de contracultura em geral), além de várias pessoas que vieram dos bairros mais distantes de joão pessoa, como bayeux e santa rita! O Nação Corrompida ja foi chamado de D.R.I. do Nordeste, o que é uma honra DA PORRA e eu posso falar que os caras honram esse título! e pra não fazer feio mandaram um cover dos ídolos fazendo a galera pogar feito louco com o clássico do Crossover! Mandaram músicas ja conhecidas da galera como DESACATO! show visceral, divertido, galera cantando junto, foi bonito de se ver! espero que o Nação Corrompida pise por aqui mais vezes para tocar, ou só pra trocar uma idéia com a galera mesmo!

A terceira banda a meter bronca foi o Bow to Nothing mais uma banda com pouco tempo de estrada, como o Disacusia, só que tendo um diferencial de ter integrantes que tocam a bastante tempo pelo Nordeste como Clécio (Bateria) que foi do Matando a Pau e do Lato Kaaos e André (Vocal) que tocou no Psicocedim, Behest e também é vocalista da banda Putrirancorragia que é outra banda com os Velhacos do Rotten Flies. A Bow to Nothing faz um Hardcore New York, claramente influenciado por Hatebreed, que inclusive mandaram um cover da banda durante o show e também um do Sepultura, a clássica BYOTECH IS GODZILLA! Confesso que não é muito meu estilo de som, mas o show da banda foi muito empolgante e a banda se mostrou muito bem ensaiada, instigada e fazendo o som na proposta deles de uma forma muito profissional, pra quem curte essa linha de HC é uma boa pedida! Promessa para os próximos anos ae!

Terrible Force é o nome da banda que faz um Death/Trash virado na mulesta que também fez barulho com força! A banda ja tem algum tempo de estrada mas ainda não tem material oficial lançado, mas tem aqueles áudios de show ao vivo que ja da pra sacar perfeitamente, ou até de uma forma melhor, talvez mais verdadeira, a pegada da banda e a proposta do som deles. Apresentaram um repertório novo dessa vez (comparando com o último show que vi) que incluia uma música nova que curti muito, fazendo uso dos back vocals e com umas partes cadenciadas muito boas, e também fizeram homenagem aos seus ídolos musicais tocando um belo cover do Sodom! Essa mistura de Death Metal com Trash fica bem bacana quando bem trabalhada, e o Terrible Force é competente nisso e nos comentários engraçados nos intervalos do show, com direito a tiração de onda com um cara que perdeu a carteira na roda de pogo.

Continuando a pegada Trash veio um dos shows mais esperados da noite, o da Madness Factory que fez o show de lançamento do seu CD/SMD que foi gravado ja a um certo tempo e quando a banda tinha outra formação! Justamente devido a essa mudança de integrantes que o show de lançamento acabou demorando para acontecer. Muita gente, eu inclusive, estava bastante curioso para ouvir como as músicas gravadas ficaram na versão com duas guitarras e um vocal diferente do de Cleber (que tocava baixo e cantava com sua voz fininha) Agora com Vanucci nos Vocais (que tem uma voz mais rasgada) e na Guitarra base e Boca no Baixo e Back Vocals gritados, a banda tem outra cara! Mandaram ver no começo do show um instrumental fudido que ja emendaram com outra música mais rápida bem ao estilo trash clássico, com palhetadas nervosas.

O M.F (se você fumou tanta maconha para não entender, isso é a abreviação de Madness Factory) demonstrou muito profissionalismo e uma grande evolução com a entrada da segunda guitarra, dando mais liberdade para Diego, vulgo Homem de Longe, para solar a vontade! e o cara faz jus a sua aparência de kirk hammet e manda muito bem nos solinhos e tappings trashisticos! Outra coisa que me surpreendeu foram os covers que a banda tocou, seguindo a linha das bandas anteriores, que também homenagearam grandes nomes do roque pesado, a banda tirou dois covers, emendando uma música na outra, do Misfits! foi simplesmente lindo ouvir One Last Care e Green Hell no meio daquela imensidão de riffs de trash metal! A banda colocou a pegada própria nas músicas dos mestres do Horror Punk. Muito bom mesmo. A banda também aproveitou para mostrar uma música ja composta pela nova formação, chamad "I'm a Renegade" que tem uma pegada mais rock and roll, que eu particularmente gostei bastante! achei foda o Resultado.

Vale destacar a humildade dos novos integrantes ao deixar bem claro que aquilo que eles tavam tocando é obra dos integrantes anteriores e que eles não estavam ali para brigar pelo lugar de ninguém, demonstrando mais uma vez o profissionalismo e a aversão a qualquer tipo de estrelismo e PAGAÇÃO que muita gente faz questão de fazer (ainda precisa citar exemplos disso?). O Saldo do show de lançamento do Madness Factory não poderia ser mais satisfatório, a banda fez um show muito seguro, redondinho mesmo, daqueles que você fica com vontade de virar produtor da banda e agenciar uma turnê na europa logo de cara! aahahahaha me empolguei.

Depois de muito rock, muita gritaria, moshes, rodas de pogo, socos, pontapés, ratazanas, conversas, paqueras, vomitadas, bolações de beques e conversas filosóficas o bandanos começa a se preparar para mandar o seu Crossover emcapetado para os guerreiros do rock da caveira que permaneceram até aquela hora, se não me engano, era mais ou menos 2 da manhã quando eles começaram a arrumar as coisas no palco (me corrijam se eu estiver errado nos comentários). Anteriormente, enquanto alguma banda de abertura tocava, eu conversava com o guitarrista da banda Marcelo e com o baixista Alex, sobre a irresponsabilidade de um dos organizadores de um show da tour (não vou ser sensacionalista nem fofoqueiro) e também sobre como quando alguém faz um evento de uma forma organizada, não precisa nem de uma semana pra fazer o show acontecer, coisas que acontecem em turnê, pena que foi justamente no nordeste.

O que me conforta é saber que o show de João Pessoa foi muito bem sucedido, como também o de natal, pelo que fiquei sabendo através de alguns comentários. Espero que o resto da turnê tenha realmente compensado a decepção e grande irritação que a banda teve no meio do caminho, que quase boicotava o resto da turnê! Só sei que quando os bandanos subiram ao palco e astiaram a sua bandeira da caveirona na parede, a roda de pogo foi intensa do começo ao fim! Começando o show com a música "Azul, Vermelho e Branco" ja foi logo botando pra torar nas caixas amplificadas do palco. E seguiram essa linha durante todo o show! Muitos pinotes do vocalista que estava claramente surpreendido com a empolgação da galera aquela hora da manhã! foi bonito de se ver tanta estiga. Interessante que em um dado momento, alguém subiu na caixa de som para tirar algumas fotos, e de repentemente começou a se tremer como se tivesse tendo um ataque epiletico! que visão horrenda ver aquela coisa magra "dançando" de uma forma extremamente peculiar! hahahahaha

Os caras de bandana também mandaram uma homenagem ao Suicidal Tendencies tocando um cover da banda que eu não sei o nome, me perdoem os mais aficcionados mas eu não conheço com detalhes as músicas desses monstros do som pesado! Uma tremenda gafe a minha, né? mas foda-se. Depois que a banda mandou todo o repertório, a galera ainda ficou pedindo mais! Com uma certa demora eles decidiram tocar uma música das antigas pra finalizar o show e mandar todo mundo embora porque eles não tinham mais o que tocar hahahahaha!
De saldo final do show, ficou claro que o nordeste tem muita gente competente fazendo som pesado de qualidade e também organizando shows de uma forma profissional e respeitando todos que estão envolvidos com o evento, o show desse sábado realmente foi uma aula de evento underground! Uma bela despedida para uma casa de shows que presenciou tantas bandas de qualidade!

Para conferir TODOS os shows que falei um pouco nessa resenha, e conferir se minhas palavras digitadas estão realmente condizendo com a realidade, basta acessar o Youtube e pesquisar o nome de cada banda, atentando para a data do show, que está especificada em cada vídeo. Posso dizer com certeza pois eu mesmo upei cada um deles! Fique a vontade para acessar a Página do REGISTRO ROCK PB, um projeto meu de vídeos das bandas Paraibanas!

Comentarios

Dejar un comentario. Entra en Last.fm o regístrate (es gratis).