RSS
  • Oito letras e uma banda, que acabou virando mais que um vício.

    16 Mar 2011, 22:56

    Eu nem sei por onde começar esse texto – apenas me deu vontade de escrever sobre como eu conheci minha 'banda favorita', que acabou transformando-se de uma música legal para uns dos meus maiores ídolos.
    Assim como alguns fãs da banda, eu conheci o Green Day vendo o video de American Idiot. Não parecia extraordinariamente incrível à primeira vista, mas o modo que o vocal cantava sobre uma América Idiota, que o baterista louco e o meu baixista preferido tocavam, parecia dar uma 'visão(?)' especial à música. Uma letra política, uma melodia foda, três seres esquisitos num vídeo quase 'anti-americano' e uma música que ficaria presa na sua cabeça por horas. Decidi pesquisar outras músicas da banda. Em algumas poucas semanas fiquei viciada numa banda cujo nome derivava de algo sobre maconha. risos. Me fascina como eles conseguiram mudar, talvez a palavra certa seja 'reinventar-se', mas, quem liga? É Green Day. São os caras que podem tocar desde um pop punk sobre tédio e assuntos aleatórios a músicas com letras sobre política e continuarem sendo, o que para mim, é a melhor banda do mundo. Eu nem sequer sei quando esses três seres passaram de minha banda preferida para as pessoas que eu mais admirava. Talvez eu nem sequer saiba expressar em palavras, ou dizer o quanto eu os adoro, mas pode ter certeza, eu o faço. Eu nem tenho uma música ou um CD favorito, porque eu não poderia rotular como 'melhor' tudo aquilo que eu penso ser o mais próximo da perfeição(claro, há os que eu gosto mais). Eu acho que tenho apenas que agradecer a esses três garotos, por formarem o que chamam de 'Green Day'. Então, obrigada, Frank, Billie Joe e Michael, simplesmente por serem quem vocês são.